Tudo o que você precisa saber sobre drive-in em BH

Popular na década de 50, cinema drive-in volta como alternativa cultural em meio à pandemia

Por Beatriz Almeida

Dizem que tudo o que um dia foi moda, sempre volta. O cinema drive-in, que foi tão popular na década de 50, pode ser um ótimo exemplo disso. A verdade é que o momento de distanciamento social é propício para o investimento em alternativas criativas como essa. Desde o início, antes da novidade chegar em Belo Horizonte, fiquei ansiosa para experimentar. Primeiro porque iniciativas assim precisam ser abraçadas pelo público, já que estão sendo responsáveis por alimentar o setor cultural em meio à pandemia. Também porque, confesso, via como uma oportunidade totalmente sazonal, que logo passaria após o período de quarentena. Mas o cenário atual talvez esteja propondo o contrário: já são quatro espaços disponíveis para a sessão aberta, só em BH! Tive a experiência em um deles e vou contar tudo para vocês.

Na hora de comprar seu ingresso, é legal se atentar para várias informações, já que os preços variam dependendo do dia da semana e do local escolhido. Atualmente, temos espaços no Alphaville, Mix Garden e Vila da Serra, todos com capacidade para 100 carros.

Desde agosto, temos também a maior sala a céu aberto do mundo, montada no Mega Space, em Santa Luzia, região metropolitana da capital. O espaço tem capacidade para receber 600 carros por sessão e até três sessões diárias, totalizando 1.800 veículos por dia. De acordo com Nirley Marino, um dos organizadores da iniciativa, o Mega Cine Drive- in proporciona uma experiência única. “Com uma tela denominada Tela Mundo, montada em uma estrutura de mais de 500 m², proporcionamos uma experiência única para toda a família. A projeção é realizada com laser de alta definição e toda a transmissão de áudio é feita através de um sistema FM, diretamente no rádio do veículo”, comenta. A iniciativa recebeu notoriedade até mesmo do Guinness Book, que provavelmente registrará o recorde.

As vagas são preenchidas por ordem de chegada, por isso é legal chegar com 30 minutos de antecedência para ficar à frente. A entrada é muito tranquila e organizada, você só precisa apresentar o QR code do ingresso ou CPF do titular da compra. Se você não dispensa a pipoca, saiba que você pode comprar ainda pela internet, juntamente com o ingresso (o preço é um pouco salgado, como de praxe em qualquer cinema comercial).

O valor do ingresso é por carro, então rola de dividir com a galera. Dependendo do dia e local escolhidos, sai o preço de uma sessão em cinema tradicional. Mas adianto que, por mais que seja possível, a vista para mais que 3 pessoas no carro não é tão boa.

Um ponto não tão legal é que os filmes não são lançamentos, mas até o momento, só vi títulos de qualidade. Quando chegamos, fomos orientados a sintonizar na rádio em que sairia o som. E, infelizmente, a qualidade da transmissão não era tão boa, já que havia um chiado ao fundo. Mas foi algo que deu para acostumar e até esquecer, conforme você se prende ao filme. Confira a lista dos espaços em BH.

Por: Matheus Rocha

 

 



0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments