Big Brother Brasil: critério de noticiabilidade e clickbait

A 22ª edição do reality show, com um mês de estreia, já é um fenômeno de repercussão nos mais variados meios e formatos.

Por Giullia Gurgel, estudante do 3º período de Jornalismo no UniBH

O Big Brother Brasil é um reality show produzido anualmente, há 20 anos, pela TV Globo. O programa consiste no confinamento de cerca de 20 participantes, que são vigiados 24 horas por dia, sem qualquer informação externa.

De acordo com os dados divulgados na última semana pelo Painel Nacional de Televisão (PNP), o BBB apresentou audiência média de 21.6 pontos no período entre 31 de janeiro e 6 de fevereiro, na Grande São Paulo. Cerca de 5 pontos abaixo do registrado pela edição anterior.

Ainda assim, mesmo com a baixa de audiência, comparado às edições anteriores, o BBB 22 ainda tem espaço para crescer nas próximas semanas, por ser um programa que presencia diariamente discussões e pautas sociais.

Na última terça-feira (15), por exemplo, a atriz Maria foi desclassificada do reality por agredir a participante Natália durante o Jogo da Discórdia, quadro que acontece toda segunda-feira para que os participantes exponham suas ideias sobre o jogo. 

Das discussões sociais ao consumo

O BBB, um dos maiores sucessos do entretenimento televisivo brasileiro, é palco para discussões de questões como racismo, homofobia, xenofobia, cultura do cancelamento e inúmeras outras.

As duas últimas edições do reality (uma exibida em 2020 e a outra em 2021) bateram recorde de audiência. Ao que tudo indica, a pandemia da Covid-19 pode ter sido pivô do aumento de telespectadores. 

Atualmente, é possível ver cada vez mais a possibilidade de se fazer jornalismo de qualidade na produção e cobertura do entretenimento. Por isso é tão importante o papel do jornalismo na cobertura e análise do Big Brother Brasil. Desde a edição, interação do apresentador com os participantes, decisões da produção às questões da sociedade, pautando discussões e tendências.

Além das pautas levantadas pelos próprios participantes, o BBB também aborda o consumo, influenciando o público por meio da publicidade. Marcas famosas como Avon, Americanas, McDonald’s e C&A apresentam grande crescimento no consumo e são anunciantes do programa. 

Foto: Reprodução/ TV Globo

Esses processos naturais da comunicação de massa acontecem devido à grande repercussão e proporção de telespectadores ligados no programa exibido no sistema aberto.

Clickbait no BBB

O clickbait é um recurso para gerar tráfego online, ou seja, utiliza conteúdos mentirosos ou tendenciosos para caçar cliques de pessoas que navegam pela web, com promessas de solucionar dúvidas ou revelar curiosidades. 

Sendo assim, clica-se em um título polêmico procurando por respostas, mas o resultado não é o esperado, já que os conteúdos não conseguem entregar a promessa. O clickbait é uma técnica cada vez mais utilizada para conseguir cliques, mas que pode acabar te levando às notícias falsas, as famosas fake news.

Por ser um dos assuntos mais comentados, o BBB é um grande exemplo dessa estratégia perigosa. É possível ver várias notícias com títulos sensacionalistas para atrair cliques dos leitores a qualquer custo, seja “aumentando” a fala de um participante ou até mesmo sobre a produção do reality.

Logo que se acessa o conteúdo desses caça-cliques, eles se revelam enganosos, e assim percebe-se que não têm nenhuma ligação com a realidade ou com o assunto “prometido”. A estratégia tem a intenção de aumentar as visitas dos sites e provocar engajamento, rendendo lucro financeiro por conta de anúncios, já que na internet os usuários perdem o controle sobre as divulgações.



0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments